A indústria de construção naval vê um futuro promissor

Após um ano de muito trabalho, a SPI Astilleros encara o ano de 2021 com maior reativação e trabalho

Apesar da pandemia , a indústria naval, atividade declarada essencial pelo governo, não parou de funcionar. Um exemplo é o do grupo SPI Astilleros . Para saber mais detalhes, Transporte & Cargo conversou com sua presidente, Sandra Cipolla .

Saiba mais sobre Construção Naval.

– Como o SPI Astilleros em particular lidou com a situação?

– Para a nossa empresa tem sido um ano em que se unem sentimentos e resultados. Este ano, a SPI Astilleros teve o privilégio de poder reparar “a fragata ARA Libertad, um emblema nacional que orgulhava não só a nossa empresa mas também a nossa cidade; realmente um momento de grande satisfação não só pela realização da reparação, mas pelo seu significado total para o nosso povo e a comunidade.

Além do impacto que a pandemia teve nas vendas, a realidade é que foi um ano exigente no segmento de reparos. Foram realizadas manobras de alta complexidade para poder responder aos nossos clientes, sustentar a produtividade foi um desafio, mas mesmo assim a nossa empresa quis deixar uma mensagem clara de que a SPI Astilleros estava e está aqui para dar o seu importante contributo para o desenvolvimento produtivo , para sustentar e criar empregos. Foi assim que – acompanhados do sistema financeiro – decidimos fazer o investimento da construção de uma draga de sucção com o objetivo de direcionar os nossos recursos para um investimento que agregasse desenvolvimento tecnológico, resolvendo problemas recorrentes como a falta de calados em o interior dos portos, tanto fluviais como marítimos.

Continuamos a transitar a pandemia entre a energia do trabalho, os investimentos e a preparação para a saída da pandemia de forma ordenada e articulada: capital, trabalho e Estado. Passamos a lançar duas construções, as embarcações pesqueiras Merluan e Barlovento : ambas destinadas à pesca do camarão e, embora devido à quarentena não pudemos realizar a cerimônia de lançamento da forma tradicional, pudemos compartilhá-la nas redes sociais e postar em valor o trabalho realizado pela nossa equipe. Realmente todo nosso pessoal colocou o que tinha que fazer para ter sucesso nessas construções simultâneas.

– A indústria pesqueira apresenta-se então como uma oportunidade interessante para a construção naval.

– Com efeito, e por isso mesmo, é importante analisar onde a pesca se desenvolve e como inovar e profissionalizar para acompanhar o seu crescimento. Por exemplo, dentro das decisões que o empresariado argentino tomou durante esta pandemia, a SPI Astilleros – fruto de seus esforços e desenvolvimento ao longo dos anos – conseguiu selar um acordo para a construção de uma embarcação pesqueira que, entendemos, será um dos melhores navios construídos no país;Contará com tecnologia internacional e construção nacional. É um projeto pensado em conjunto com o cliente, um projeto que nos tem arrebatado pelo desenvolvimento da engenharia, por destacar as potencialidades da construção nacional, pelo potencial de geração de produção e trabalho que este tipo de empreendimento traz para a indústria e a sociedade. É um forte compromisso com o país e com a sua gente e que se tornou possível pelo empenho da firma Luis Solimeno e Hijos SA com a nossa indústria, a nossa cidade e o país. O projeto, que já está em fase de construção, nos motivou e incentivou.

– Existe projeto de ampliação da infraestrutura existente no estaleiro?

– Absolutamente. Na SPI, estamos iniciando um importante investimento que faremos para ampliar nossa capacidade instalada na cidade de Mar del Plata. Este projeto visa também a integração, não só local, mas também regional, e a articulação com outros setores produtivos. Isso nos permitirá construir navios maiores e trabalhar simultaneamente no reparo de oito navios .

– Como você vê as perspectivas para o ano de 2021 que se inicia?

– Nesta fase da pós-pandemia, em que todos devemos pensar em como reativar a produção e o trabalho, acreditamos que a indústria naval pode contribuir, não só com o seu próprio desenvolvimento através de seus estaleiros e oficinas navais, mas também na cadeia de valor e o sistema regional com o qual é gerida. Devemos, como eu disse, pensar na saída da pandemia de forma ordenada a partir de uma sinergia e trabalho conjunto entre capital, trabalho e Estado. Neste quadro, o impulso do Ministério do Desenvolvimento Produtivo da Nação do Conselho Social, Produtivo e Setorial da Indústria Naval parece extremamente positivo e encorajador.em que estamos representados os diferentes atores do setor. Por isso acreditamos que todos devemos valorizar este espaço que mostra o reconhecimento da indústria naval como um setor estratégico para o nosso país.

Estamos convencidos de que a Argentina possui um enorme potencial e, neste contexto, reafirmamos o compromisso de nossas empresas com o desenvolvimento produtivo e a geração de empregos. Nesse mesmo caminho, que começamos a percorrer há mais de 40 anos, é aquele em que 2021 nos encontrará .

Deixe um comentário